BLOG

Metodologia Scrum: como funciona e exemplo prático

A metodologia Scrum é um modelo de trabalho com o qual as equipes se organizam de maneira específica a fim de proporcionar um excelente resultado tanto na entrega, quanto durante o desenvolvimento do produto/serviço.

Ela é considerada o método de agilidade mais popular da atualidade, levando adaptação, rapidez, flexibilidade e efetividade a projetos organizacionais.

Inicialmente, o Scrum foi criado para o desenvolvimento de softwares. Mas, devido a sua grande versatilidade, ele também pode ser aplicado a diferentes áreas.

A seguir, você verá detalhes sobre a metodologia Scrum; confira:

Fique com a gente e descubra mais sobre o famoso framework.

O que é metodologia Scrum

Scrum é um método ágil — isto é, uma maneira de conduzir projetos de forma rápida e com qualidade. Trata-se de um framework (estrutura) de trabalho composto por profissionais que atuam em ciclos, chamados de sprints.

Assim, com organização, adaptabilidade e velocidade, o time que adere ao Scrum consegue fazer entregas em tempo hábil.

O método foi mencionado em 1986 pelos professores de Harvard, Takeuchi e Nonaka, no artigo “The New New Product Development Game”. Em 1995, o desenvolvedor Ken Schwaber publicou o artigo “SCRUM Development Process”. 

Em 2001, o “Manifesto Ágil” foi escrito por três programadores, incluindo um dos criadores do Scrum: Mike Beedle, Jeff Sutherland e Ken Schwaber. Desde então, a metodologia vem se popularizando em todo o mundo.

Glossário da metodologia Scrum

Muitos termos do Scrum não foram traduzidos do inglês para o português; além disso, existem conceitos específicos aplicados à metodologia. Por isso, antes mesmo de entendermos como o framework funciona, trouxemos este glossário para você; veja:

Product Owner (PO)

Este é um profissional com poderes de liderança sobre o projeto. Entre as suas responsabilidades, está a definição de recursos e funcionalidades aplicados ao produto, bem como a ordem e a priorização da execução dos trabalhos. 

Scrum Master (SM)

Profundo conhecedor da metodologia, seu compromisso é fazer com que o Scrum seja utilizado ao longo de todo o desenvolvimento do projeto. Então, ele é responsável por manter os 6 princípios do método (que serão vistos em detalhes, adiante).

Development Team (DT)

Trata-se do time de desenvolvimento que tem o papel de executar as tarefas do projeto. Originalmente, o DT é composto por desenvolvedores, programadores e outros profissionais da área de tecnologia. Com adaptações, ele pode ser formado por diferentes profissionais.

Product Backlog 

É uma lista de tarefas relacionadas ao produto que está sendo desenvolvido e que precisam ser entregues em determinado prazo pelo time (DT). Ele é determinado pelo PO, com a devida priorização das atividades e formulação do objetivo.

Sprint 

O sprint é o ciclo no qual o trabalho é desenvolvido. Geralmente, ele tem algumas semanas, mas pode ser ajustado segundo as demandas do projeto.

Sprint Backlog

Elaborada pelo DT, essa lista contém as tarefas que serão desenvolvidas em um sprint, com a descrição das metas e prazos a serem alcançados.

Sprint Planning

Reunião para a definição do próximo sprint. Nela, as funções do DT e as atividades que serão executadas nos próximos dias, entre outras atribuições, são determinadas.

Sprint Review

Encontro ao fim de cada sprint para avaliação do trabalho feito durante o período. Nesse ponto, a equipe analisa se as metas inicialmente estipuladas foram alcançadas.

Sprint Retrospective

Reunião que tem a finalidade de avaliar o conjunto de sprints passados, identificando os aprendizados, erros e acertos durante a execução do trabalho.

Daily Scrum ou Stand Up Meeting

Encontros diários de até 15 minutos para o acompanhamento do projeto. Nele, os profissionais envolvidos devem responder a questões como: que tarefas foram executadas ontem? Quais serão executadas hoje? Existem barreiras para que sejam realizadas?

Como funciona a metodologia Scrum

Agora que você já conhece os principais termos do método, vamos ao funcionamento do Scrum: 

  1. O product backlog é criado pelo product owner segundo as diretrizes do projeto. O PO determina as tarefas e prazos para todo o dev-team;
  2. Em seguida, acontece a reunião de sprint planning, na qual o DT determinará tudo o que será trabalhado durante o próximo sprint;
  3. Assim, o sprint backlog é criado, com as atividades que serão executadas em determinado período. 
  4. Ao longo do ciclo, são realizados os daily scrum, encontros diários rápidos e objetivos de acompanhamento;
  5. Ao fim do sprint, acontece a sprint review, em que o time analisa os resultados; 
  6. Então, o ciclo volta a seu ponto inicial, com a determinação de metas para um novo sprint backlog;
  7. Segundo o projeto, o produto será desenvolvido depois de vários ciclos como esse. A cada sprint, o produto alcançado é apresentado e comparado com o objetivo inicial;
  8. Após o sprint retrospective, o produto é finalmente criado ou incrementado, de acordo com as diretrizes inicialmente levantadas.  

Basicamente, podemos dizer que a metodologia Scrum funciona à base ciclos (sprints).

6 princípios do Scrum

Para que tudo ocorra da melhor maneira possível, é preciso seguir os 6 princípios do Scrum. O Scrum Master, inclusive, tem a tarefa de fazer com que os envolvidos no projeto respeitem os seguintes preceitos:

  1. Empirismo
  2. Auto-organização
  3. Colaboração
  4. Priorização baseada em valor
  5. Time-boxing
  6. Desenvolvimento iterativo

Veja detalhes sobre cada um desses princípios.

Princípio 1: Empirismo

Uma das bases do método é o conhecimento e aperfeiçoamento pela prática. Assim, o Scrum é executado baseado no empirismo, em que as tomadas de decisão do projeto são feitas sobre experimentos e observações.

Existem 3 elementos que fazem parte deste princípio, são eles:

  1. Transparência: o projeto é aberto e os envolvidos conseguem observá-lo sob diferentes ângulos, a fim de gerar processos transparentes;
  2. Inspeção: avaliação e monitoramento das entregas tanto pela equipe, quanto por PO, SM, cliente e outros stakeholders;
  3. Adaptação: as atividades e tarefas relacionadas ao projeto podem ser ajustadas sempre que necessário a fim de que os objetivos sejam alcançados.

Dessa maneira, o projeto aprende consigo mesmo durante o processo, sendo transparente, avaliado e adaptado para alcançar um propósito maior.

Princípio 2: Auto-Organização

Uma das principais características das metodologias ágeis trata sobre o perfil das equipes. Para que os trabalhos sejam realizados com rapidez, precisão e qualidade, o PO, o SM e o DT devem ser auto-organizados.

Sendo assim, isso significa que os profissionais precisam ter autonomia para a realização de suas funções dentro do que foi determinado no product backlog e no sprint backlog.

O Scrum, assim como outros métodos ágeis, deixa o microgerenciamento de tarefas em segundo plano. Então, o product owner atribui as responsabilidades aos integrantes do time — que, por sua vez, fica responsável pelas entregas no prazo e de acordo com as diretrizes.

Mais livres para executar as suas atividades, os profissionais têm mais chances de explorar a sua capacidade criativa. Além disso, o método favorece a inovação ao dar espaço para a utilização de novos métodos e opções de execução.

O princípio da auto-organização eleva os níveis de independência do time e promove uma liderança mais focada em desempenho, em vez de monitoramento. 

Princípio 3: Colaboração

O trabalho em equipe exige, sobretudo, o esforço conjunto. Para tanto, a colaboração é a chave para que profissionais resolvam dilemas juntos e alcancem os melhores resultados.

Nesse princípio, existem 3 características para serem trabalhadas:

  1. Consciência: a equipe inteira deve estar consciente sobre cada um dos membros, trabalhando para haver conexão entre si;
  2. Articulação: o projeto é dividido em várias etapas e processos, com seus devidos responsáveis. Assim, o time deve entender as partes e o todo para que, no fim do trabalho, o resultado seja entregue em sua integralidade;
  3. Apropriação: trata sobre o uso de ferramentas e tecnologias para integrar o time e fazer com que o produto seja finalizado com a devida qualidade e no tempo programado.

Então, um grupo de pessoas conscientes, articuladas e que usam os instrumentos certos é capaz de chegar a resultados incríveis com o Scrum.

Princípio 4: Priorização baseada em valor

Que valor o produto que está sendo desenvolvido deve entregar ao usuário final? E qual valor será entregue à companhia que contrata a equipe de Scrum para desenvolvê-lo?

O trabalho feito segundo a metodologia deve ser desenvolvido com a finalidade de entregar o máximo valor àqueles que utilizarão o fruto dos sprints.

Assim, PO, SM e DT precisam desenvolver as suas atividades com o foco no valor que o produto vai agregar à organização e aos seus usuários. 

Isso é importante para avaliar riscos, priorizar atividades e para direcionar o trabalho como um todo.

Princípio 5: Time-boxing

Tempo é um dos recursos que demandam mais cuidados em qualquer projeto. Com o Scrum, a atenção é redobrada e os envolvidos precisam estar atentos aos prazos estabelecidos.

Portanto, o princípio de time-boxing trata sobre a alocação e organização da agenda de PO, SM e DT em ciclos e reuniões que colaborem para que o produto seja desenvolvido e entregue no tempo previamente acordado.

Princípio 6: Desenvolvimento Iterativo

Iteração é uma característica relacionada à repetição; logo, o Scrum é uma estrutura que precisa ser repetida, revisitada e retrabalhada para que o melhor produto seja alcançado ao fim dos sprints.

A metodologia tem como princípio um desenvolvimento iterativo, que fará ajustes ao longo do caminho e repetirá os elementos de sucesso. Então, as melhorias deverão ser inseridas em novos ciclos, que vão se aperfeiçoando com a repetição. 

Aplicação da metodologia Scrum

Como vimos, o método foi criado para o desenvolvimento de softwares, colaborando para a área de tecnologia da informação. Assim, sua aplicação original foi na criação de sistemas diversos — como ERPs, CRMs e outros.

Mas, devido à sua versatilidade, o Scrum também pode ser aplicado em outros setores organizacionais. Dessa maneira, qualquer projeto que seja desenvolvido pelo negócio pode utilizar a metodologia, com as devidas adaptações.

Ao fazer mudanças, especialistas mais ortodoxos podem considerar que o framework não está sendo aplicado rigorosamente. 

Então, podemos dizer que é possível aproveitar o conceito, a essência e as ferramentas para aplicá-los com eficiência em diversas áreas — com marketing e vendas, por exemplo.

Exemplo de Scrum na Central de Atendimento pelo WhatsApp

Considere que uma empresa queira aperfeiçoar o seu atendimento digital. Atualmente, ela utiliza o WhatsApp para se comunicar com a sua clientela, mas percebe que o aplicativo não tem sido usado adequadamente.

Para isso, a organização desenvolve um projeto, chamado “Central de Atendimento pelo WhatsApp”, cujo objetivo é profissionalizar os serviços prestados pela marca através do mensageiro.

Então, são designados um product owner, um scrum master e uma equipe composta por atendentes e vendedores.

O PO define o product backlog, dando clareza ao objetivo do projeto, estabelecendo prazos e determinando responsabilidades. Nesse caso, o resultado a ser entregue é uma central de atendimento eficiente e rápida, que atenda o público e faça novas conversões em vendas.

O SM fica responsável pelo acompanhamento dos princípios e diretrizes do Scrum — aqui, adaptados à realidade do projeto.

O DT, composto por profissionais de atendimento e de vendas, tem o compromisso de avaliar o atual cenário da empresa, explorar as melhores técnicas do setor e implementar novas diretrizes que façam com que a central seja um sucesso.

O sprint planning definirá com mais detalhes as tarefas e os prazos para o próximo sprint, com intervalo previamente determinado. O projeto pode ter um ciclo de 3 semanas, com metas semanais, por exemplo.

Rápidos encontros diários deixarão a equipe a par de tudo o que está acontecendo — como novos scripts de atendimento, criação de funil de vendas, escolha de ferramentas de automatização para WhatsApp (como Notificações Inteligentes), entre outros. 

No fim do ciclo, o sprint review fará uma avaliação das entregas e um novo sprint será iniciado. 

Quando todos os ciclos forem finalizados, a reunião de sprint retrospective apresenta o resultado da “Central de Atendimento pelo WhatsApp”.

Então, é possível aproveitar os conceitos da metodologia Scrum para diversos projetos da empresa.

Considerações sobre a metodologia Scrum

O Scrum é um método ágil que utiliza ciclos para a criação de um produto/serviço de maneira rápida e efetiva. Ele está baseado em agilidade, cooperação, autonomia e comunicação. 

Gostou do conteúdo? Esperamos que sim!
Então, continue com a sua leitura e leia mais no blog do Notificações Inteligentes

Conheça nossos planos agora mesmo.

Comece Agora

Você está a um passo de aumentar suas vendas e reduzir reclamações.

Comece Agora

Você está a um passo de aumentar suas vendas e reduzir reclamações.